Pequena, média ou grande empresa: Use o inventário para otimizar seus resultados.

Estoque parado é dinheiro parado. Quem trabalha com logística já ouviu essa frase milhares de vezes, mas talvez ainda não tenha aprendido como evitar que isso aconteça. Uma solução para evitar problemas de estoque ocioso é através do inventário. A origem do termo é latim, inventarium, e pode significar tanto uma lista de bens deixados por alguém, como herança, quanto uma lista onde fica registrado, nos menores detalhes, quando itens estão em um determinado lugar. Importante ressaltar que, no caso de empresas de logística, o inventário deve levar em conta tanto os produtos que estão armazenados em instalações próprias quanto fora dela, desde que pertençam à empresa.
Como o inventário pode otimizar resultados?

Você sabe a quantidade exata de pelo menos um produto comercializado pela sua empresa de logística? A resposta provavelmente é não, e é isso que não pode acontecer. Vamos supor que chegou um pedido de um cliente para comprar 500 unidades de um determinado produto. Você tem uma ideia de quantas unidades tem em estoque, mas, com medo de não conseguir atender a essa demanda, pede um adicional de 300 unidades para a fábrica. No entanto, quando vai conferir no seu armazém, vê que possuía, na verdade, 400 unidades. Agora, você tem 200 unidades sobressalentes e sem previsão para vendê-las. Ou seja, o dinheiro referente à compra daquelas unidades ficará parado por tempo indeterminado até que a venda seja realizada.
O problema é quando essa situação acontece rotineiramente. Quanto estoque parado a sua empresa possui? Quando esse investimento será recuperado? O inventário vem para evitar essa situação e outras situações. Veja abaixo!

Melhora a rotatividade dos produtos: o inventário vai permitir que você saiba, a todo momento, quantos produtos que você possui em estoque, o quanto precisa ser pedido para suprir a sua necessidade, quais produtos são mais populares (e é possível manter um pequeno estoque pronto para a venda) e quais devem ser pedidos apenas com um destino determinado, etc.
Evita desperdícios: Todo e qualquer produto está à mercê das ações do tempo e dos elementos. Ter um estoque parado durante muito tempo pode acabar causando desperdício, ou seja, esse investimento nunca será recuperado.

Melhora o atendimento ao cliente: em caso de problema com entrega, reclamação, ou pedido urgentes, você estará sempre pronto para fornecer a informação correta para o seu cliente, melhorando o relacionamento e prestando um bom serviço, sempre.
Inventário de perecíveis: uma necessidade ainda mais urgente
Empresas de logística que trabalham com distribuição de perecíveis, como vacinas e outros suprimentos médicos, alimentos frescos, congelados ou enlatados precisam realizar o inventário de forma ainda mais precisa. Problemas na contagem de carga e estoque parado podem resultar em prejuízos grandes rapidamente, não só para a empresa de logística em si, mas para toda a cadeia de produção e venda.

Além da prancheta: como fazer o inventário de forma moderna
Já foi o tempo em que o inventário era feito de forma manual por um profissional que contava e anotava quantidade em uma prancheta. Hoje, existem sistemas que permite automatizar todo o processo, integrando a área de vendas com o armazém, o financeiro e o setor de distribuição em si, até o motorista do caminhão. Ao contratar um software de gestão, como um ERP, você poderá integrar todas as informações da sua empresa em um só sistema. Abaixo te damos um exemplo de como funcionaria na prática.
Vamos iniciar esse processo com o pedido do cliente: quer você possua um e-commerce B2B onde o cliente possa realizar as compras sozinho ou precise de um representante comercial para isso, será possível visualizar, diretamente no sistema, o número de unidades à disposição para compra e o prazo para entrega. Se o pedido estiver acima do seu estoque, o sistema mostrará um prazo que leve em conta a necessidade de realizar o pedido direto em fábrica.

Uma vez que o pedido for finalizado, e o financeiro confirmar o recebimento do pagamento, o pedido será encaminhado para o responsável pelo armazém, que selecionará os produtos e deixará pronto para o envio. Alguns sistemas trabalham com códigos de rastreamento de carga ou códigos de barra, que facilita a atualização do sistema em cada passo da distribuição. Uma vez separados, os produtos poderão ser recolhidos pelos motoristas e encaminhados para os estabelecimentos!
Com a confirmação do pagamento, o sistema também já atualizará automaticamente a quantidade de produtos em estoque e os prazos de entrega, preparando-se para os próximos clientes. Isso acontece de novo e de novo, automatizando o inventário e fazendo com que a sua empresa se torne cada vez mais eficiente!
Importante lembrar que existem sistemas adequados para todos os portes de empresa, do pequeno ao grande, prontos para suprir cada necessidade particular.
Cross docking e o inventário

Muito associado com o e-commerce, o cross docking também pode ser aplicado à empresas de logística. O nome se refere a processos que evitam o armazenamento, ou seja, ao encaminhamento do produto direto da fábrica ao cliente. A vantagem é que, dessa forma, todos produto chegam à sua empresa de logística já com um destino, sem criar estoque parado e sem precisar de espaço para armazenamento. O inventário, portanto, precisa fechar com o mínimo de produtos possível em estoque.
Parece ótimo, mas o cross docking necessita de uma grande maturidade por parte da empresa, muita organização e compromisso por parte de todos da equipe. Os atrasos de entrega precisam ser minimizados pois a próxima remessa não pode ficar na doca esperando para ser recolhida, e assim por diante. Portanto, antes de adotar o cross docking, avalie bem em que estágio a sua empresa de logística de encontra e se está mesmo preparada para trabalhar assim.

A adoção do inventário é uma ótima forma de otimizar os resultados da sua empresa, se feito da forma correta e eficiente.
Você já adota algum sistema de inventário? Conte para nós nos comentários!